ONG Sinhá Laurinha

Home  » PROJETO GUARDIÕES DO MEIO AMBIENTE / AGENTE AMBIENTAL VOLUNTÁRIO

 

Criar agentes multiplicadores na preservação da natureza, despertando nestes a reflexão critica dos problemas sócio-ambientais, para que os mesmos possam atuar na sensibilização da comunidade no enfrentamento dos problemas ambientais.

 

Podemos destacar alguns objetivos a seguir:

  • Incentivar à participação individual e coletiva, permanente e responsável, na preservação do equilíbrio do meio ambiente, entendendo-se a defesa da qualidade ambiental como um valor inseparável do exercício da cidadania.
  • Promover a qualidade de vida transmitindo conteúdos ao publico estudantil, reforçando o relacionamento entre criança, adolescente e terceira idade.
  • Garantir a democratização das informações ambientais.
  • Promover a cooperação entre governo e sociedade civil na busca de soluções coletivas de proteção e conservação dos recursos naturais.
  • Promover orientações que tratem dos temas ambientais relacionados à caça predatória, poluição e destruição das áreas.  
  • Realizar Mutirões Ambientais.
  • Participar em atividades de educação ambiental, conservação, preservação, proteção ao meio ambiente, com foco nas Unidades de Conservação e demais áreas protegidas. 
  • Informar as autoridades competentes situações irregulares constatadas nos trabalhos de campo realizados pelos Guardiões do Meio Ambiente; 
  • Buscar alternativas metodológicas de capacitação na área ambiental.

 

Ao implantar o projeto guardiões do meio ambiente a Sociedade Sinhá Laurinha pretende alcançar as seguintes metas:

  • Diminuir o descarte de lixo nas ruas, praias, rios, parques e outros.
  • Aumentar a freqüência da população nas áreas de uso publica das Unidades de Conservação, áreas protegidas, visando à integração homem/ambiente.
  • Execução de atividades de educação ambiental para os catadores de caranguejo, moradores residentes localizados nas áreas de influência das áreas protegidas, trabalhadores rurais, estudantes e técnicos ambientais da região (6 atividades).
  • Conscientizar a população da posse responsável dos animais.
  • Criar mutirões ambientais em parceria com entidades civis e públicas (2 mutirões).

A metodologia que guiará o projeto será construtivista e se fundamenta na práxis "ver-pensar sobre e agir".
Alternando atitudes de ação e reflexão, os guardiões desenvolverão sua percepção ambiental e tornam-se aptos a desenvolver a cidadania da comunidade, contribuindo efetivamente para a gestão ambiental municipal.

Os inscritos, em número de 60 pessoas, em duas turmas de no máximo 30 pessoas cada, com idade superior a 18 (dezoito) anos, alfabetizado e vinculado a entidade ambientalista ou afim. Esses multiplicadores deverão estar aptos a repassarem os conhecimentos adquiridos após a capacitação, aos diversos setores da sociedade, atuando na prevenção, conservação, preservação e orientação. O conteúdo programático será elaborado na reunião de integração a ser realizado na Fase I, bem como as parcerias para a execução do projeto será definida, indicada e formalizada antes do inicio das atividades.

O curso conterá 56 horas, para cada turma, que deverão enfatizar aulas práticas no campo com o desenvolvimento de habilidade de identificação dos principais ambientes do Município e seus inter-relacionamentos através de excursão técnica aos referidos ambientes e atividades desenvolvidas. A abertura e encerramento das atividades do curso serão executadas por colaboradores do IBAMA. 

As aulas teóricas deverão ser também ministradas com a utilização de método específico que utilize textos, fotos, blocos diagramas e perguntas gradativas desenvolvendo de forma pedagógica o conhecimento cognitivo e percepção dos elementos da natureza, do ambiente, do homem e suas inter-relações.

Após a capacitação, os agentes credenciados e as atividades desenvolvidas poderão ser avaliados pelos órgãos ambientais governamentais, devendo as atividades, priorizarem as áreas protegidas, onde, uma vez observada qualquer irregularidade, os guardiões do Meio Ambiente, encaminharão as situações à autoridade competente, que devem priorizar o atendimento, cabendo aos Guardiões do Meio Ambiente acompanhar o processo até a mitigação do problema detectado.

Notoriamente, os Guardiões do Meio Ambiente capacitados, procurarão indicar as irregularidades aos infratores, orientando-os a saná-las.

Assim para efetivação do projeto teremos as seguintes fases a serem executadas:

 

Fase I:

  • Formação de uma equipe técnica para atuar no projeto identificado com a realidade ambiental do município, promovendo uma interação entre os instrutores (reunião), para elaboração do conteúdo programático;
  • Divulgação para formação do grupo de trabalho;
  • Elaboração de material didático;
  • Inscrições e Seleção - Preenchimento de um questionário de inscrição, passando por um processo de seleção realizado pela equipe técnica da Sociedade Sinhá Laurinha.

Fase II - Capacitação:

  • O conteúdo teórico e prático do curso deverá ser ministrado, sob forma de 10 módulos, a saber:

Módulo I – Educação Ambiental e Cidadania - Carga horária de 5 horas;
Módulo II – Conceito e fundamentos da ecologia e Ciclo da água– Carga horária de 4 horas;

Módulo III – Ordenamento Pesqueiro – Carga horária de 5 Horas; 
Módulo IV – Fauna - Carga horária de 5 horas;
Módulo V – Flora – Carga horária de 5 horas;
Módulo VI – Unidades de Conservação – Carga horária de 4 horas; 
Módulo VII – Legislação Ambiental Federal, Estadual e Municipal – Carga horária de 7 horas;
Módulo VIII – Fiscalização, Monitoramento e Avaliação – Carga horária de 5 horas;
Módulo IX – Programa AAV – Carga horária de 4 horas.
Módulo X – Plano de identificação e ação de problemas ambientais da região, incluindo trabalhos de campo monitorado (Levantamento de campo qualitativo sobre os temas e situações reais ligados ao meio ambiente) – Carga horária de 8 horas;

 

Fase III - Após a capacitação, o Guardião, de posse de identificação reconhecida pela Sociedade Sinhá Laurinha e IBAMA, instituição parceira, passará a atuar em:

  • Orientações à população residente e flutuante sobre as práticas de proteção, preservação e conservação dos recursos naturais.
  • Prevenção de situações que possam causar danos ao meio ambiente.
  • Estimular processos educativos voltados á proteção, recuperação e melhoria do meio ambiente e qualidade de vida.
  • Contribuir para o monitoramento e avaliação das condições ambientais locais, garantindo a qualidade do meio ambiente.

Indicadores ambientais

  • Número de casos registrados com encaminhamentos;
  • Número de orientações e atendimentos realizados;
  • Numero de pessoas mobilizadas.

Autoria

Tereza Cristina Braga - Psicóloga

Tereza Cristina P. S. Pinto – Relações Públicas – Comunicação Social, Especializada em Educação Ambiental 

 

Colaboração

Franciane Almeida da Silva – Bióloga.

 

Revisão

Ricardo de Miranda Braga – Eng. Agrônomo – Msc. Agroecologia

 

Coordenação Geral

      Tereza Cristina Braga 

 

Coordenação Técnica

      Franciane Almeida da Silva



© 2017 Sociedade Sinhá Laurinha - Todos os diretos reservados